Virtuoso é quem tem virtude

Mentiras

Erich Cavalcanti

2007

A mentira tem várias faces, cada uma delas é interpretada de uma forma diferente, mas em base todas são mentiras. Por que todas são mentiras? Pois em todos os casos o falante expressa algo que não é verdadeiro, ou que pelo menos, ele acha que não é.

  Os tipos de mentira serão mostrados nessa matéria por quatro níveis básicos: mentiras sutis, mentiras de manipulação, mentiras sádicas e  mentiras doentias. 

Mentiras sutis

  São mentiras que não causam grandes danos ou modificações à sociedade, em geral apenas servem para auxiliar em certas situações. Em maioria são estudadas por todos, não como mentiras, mas sim, como figuras de linguagem.

  • Eufemismo : “palavra ou expressão empregada em lugar de outra que se considera desagradável ou excessivamente forte”, essa é a definição de eufemismo como figura de linguagem, para alguns é estranho dizer que é um tipo de mentira, mas de certa forma é, pois você falta com a verdade direta, é claro que por um motivo nobre.
  • Ironia : “consiste em usar uma palavra com sentido que se distancia do literal, porém não é totalmente figurado”, novamente a definição como figura de linguagem. Em base, ironia é considerado um estilo de mentira pois ao realiza-la, você une uma falsa afirmação com um sentido verdadeiro, veja o exemplo para entender melhor.
  • Hipérbole : “figura que resulta de um uso exagerado da significação das palavras”, só o fato de representar exagero, a hipérbole é um tipo de mentira, sutil é claro, mas uma mentira.
  • Mentira social : esta é uma mentira utilizada para evitar gafis, muito comum para não conceder má impressão, ou para responder coisas que, sinceramente, não deviam ter sido perguntadas.
 

Mentiras de manipulação

  Essas são mentiras que modificam o meio à volta, ou pelo menos a opinião de alguém, é convencer alguém com algo que não é verdade.

  • Blefe : esta é a mentira do jogo, quando através de uma expressão bolada e falsa o falante tenta convencer o ouvinte de outra coisa, sem este perceber que esta sendo manipulado.
  • Mentira de escape : é a mais comum das mentiras, começa a surgir durante a “fase maquiavélica” dos 4 anos e meio, quando a criança descobre que pode mentir para escapar de palmadas da mãe. Além de ser usada para escapar de enrascadas, é usada para evitar responder coisas, ou seja, responder uma mentira que finalize a conversa.
  • Mentira política : todos conhecem esta, que é o ato de prometer algo que concerteza não vai cumprir, ou de negar algo que todos sabem ser verdade.
  • Mentira comercial : prezada em alguns países, trata-se da mentira durante o processo de comprar-vender, onde fala-se coisas sobre o produto que não são realidade. Um breve exemplo é a propaganda enganosa.
 

Mentiras sádicas

  São simplesmente mentiras que têm como objetivo prejudicar os outros, fazendo a este o mal. Estas mentiras manipulam a realidade, para fazer o ouvinte pensar mal de alguém que não fez nada de errado.

  • È o ato de falar mal de uma pessoa para os outros, visando o prejuízo do alvo.
 

Mentiras doentias

  Essas são as mais graves mentiras existentes, não para os outros, mas sim para quem mente, pois se trata de pura doença. A primeira, que é “neorose”, pode ser tratada apenas por psicanalistas formados. Já a segunda forma, que se trata de “psicose”, pode ser tratada apenas por psiquiatras formados.

  • Neorose : é quando a pessoa ainda está na realidade, ou seja, sabe que mente, mas tem um problema que a faz mentir compulsivamente, ou seja, não parar de mentir, essa doença é conhecida como mitomania. Em geral, apesar de saber que mente, o mitomaniaco nunca admitirá isso.
  • Psicose : é uma evolução da mitomania, onde a pessoa vive a mentira criada como se esta fosse verdade, a pessoa não consegue acreditar que é mentirosa, sempre sustentando a mentira com outra mentira. É muito difícil tratar pessoas assim, pois elas nunca crêem que estão mentindo, pois estão em outra “realidade”.

Procurar no site

© 2008 Todos os direitos reservados.