Virtuoso é quem tem virtude

Sistema Cardiovascular: Organização e Funcionalidades

Erich Cavalcanti e Laianne Tarcilla

26/11/2007

 

Apresentação

 

O sistema cardiovascular, ou sistema circulatório, provavelmente seja um dos mais importantes para todo o organismo. Afinal, ele demonstra o motivo do sistema respiratório e digestório existirem, além de conceder apoio imenso ao sistema linfático e ser um controlador no sistema excretor. Analisando desta maneira, apenas o sistema nervoso é mais importante e influente que ele.

É exatamente sobre este rico sistema que se explana neste trabalho. O objetivo real é demonstrar as principais estruturas do sistema cardiovascular e como elas funcionam, já que é descrito a evolução final do sistema, esse trabalho só serve para descrever esse sistema quando se fala dos mamíferos e, em grande parte, quando se fala das aves.

Para melhor assimilação e analise o trabalho foi dividida em duas partes principais, a primeira parte é intitulada “O órgão principal: coração” onde é descrita sua organização e funcionamento. Assim podem-se conectar facilmente as informações e compará-las, é possível notar que a organização do órgão é toda com base em como ele será utilizado, é um sistema perfeito. Depois se chega à segunda parte, esta intitulada “Sangue pelo corpo”, neste tópico é então descrita a circulação sanguínea e os órgãos necessários para tal funcionamento, é notável a perfeição do sistema, este que chega ao ponto de não podermos ainda gerar algo que seja igual ou supere, o que mais se aproxima dessa perfeita rede de circulação é a distribuição de água em uma cidade, o que, ainda assim, se comparado com o sistema circulatório de cada um de nós, é bem primitivo.

 

Sistema Cardiovascular

 

 

Estruturas, organizações e funções

 

  1. O órgão principal: coração

 

Funcionalidade/Função: A principal função do coração é movimentar todo o sistema cardiovascular e ele realiza esta tarefa de maneira bem simples, apenas servindo como uma bomba. Logo, o coração bombeia o sangue por todos os vasos; a força e freqüência mantêm a grande e pequena circulação. O coração, porém, é controlado por estímulos nervosos cerebrais. Os estímulos nervosos no coração geram a sístole e a diástole, respectivamente a contração e o relaxamento. Ao contrair o sangue é expulso para a próxima câmara ou para um canal, quando se relaxa a câmara relaxada enche-se de sangue.

 

Morfologia: O coração apresenta quatro cavidades, os átrios (cavidades de entrada) e ventrículos (cavidades de saída), respectivamente na parte superior e inferior do coração. O coração é constituído por um músculo forte e flexível que permite-o realizar as tão importantes contrações. O coração também precisa de nutrientes, para alimentar suas células existem duas redes interligadas quase que diretamente com os átrios e ventrículos, estas forma a circulação arterial coronariana e a circulação venosa coronariana.

 

  1. Átrio Esquerdo

  • Funcionalidade/Função: Captar o sangue arterial provindo das quatro veias pulmonares para transmiti-lo, controladamente, ao ventrículo esquerdo. A válvula mitral controla essa transmissão.

  • Morfologia: Câmara com cinco ligações, quatro delas de entrada, as veias pulmonares, e uma de saída, o orifício auriculoventricular esquerda. Este orifício é também conhecido como válvula bicúspide, por conter três válvulas, ou mitral, devido ao formato semelhante á inversão de uma mitra de bispo.

 

  1. Ventrículo Esquerdo

    • Funcionalidade/Função: Captar sangue arterial vindo do átrio esquerdo e então transmiti-lo para a artéria aorta. Impede, com uso de válvulas sigmóides, que o sangue que vai para a aorta volte ao ventrículo.

    • Morfologia: Apenas duas ligações, a primeira com o átrio esquerdo, pela válvula mitral, a segunda com a aorta, pelas válvulas sigmóides. A artéria aorta, a qual recebe o sangue arterial, é a maior do corpo.

 

  1. Átrio Direito

    • Funcionalidade/Função: Captar o sangue venoso trazido do corpo pelas veias cavas e então o passar ao ventrículo direito. Suas válvulas terão a simples função de reter ou permitir a passagem desse sangue.

    • Morfologia: Câmara que recebe a veia cava superior e veia cava inferior provenientes, respectivamente da parte superior – cabeça e braços – e da parte inferior – resto do corpo –. Tem ligação com o ventrículo direito através da orifício auriculoventricular direita ou tricúspide, assim por conter três válvulas.

 

  1. Ventrículo Direito

    • Funcionalidade/Função: Permitir que o sangue venoso proveniente do átrio direito seja levado pela artéria pulmonar. Controle da ‘saída’ é realizado pelas válvulas sigmóides que impedem volta do sangue ao ventrículo.

    • Morfologia: Esta câmara tem apenas duas ligações, a primeira com o átrio direito, de onde recebe o sangue, e a segunda com a artéria pulmonar, para onde vai o sangue. Ambas as ligações controladas por válvulas.

 

  1. Comando Cerebral

    • Funcionalidade/Função: reger o sistema cardiovascular permitindo seu correto funcionamento. Existem impulsos simpáticos e parassimpáticos, os simpáticos aumentam as atividades cardiovasculares, dentre elas a força e freqüência de bombeamento, já os parassimpáticos diminuem as atividades cardiovasculares, ou seja, exatamente o inverso dos simpáticos. Esse controle permite gastar menos energia durante a noite, quando menos nutrientes são necessários, e enviar mais nutrientes quando os são necessários, como em uma corrida.

    • Morfologia: Simplesmente constituído por uma rede de nervos proveniente do sistema nervoso central autônomo, exatamente preparado para funcionar naturalmente, e sem nosso controle direto.

 

  1. Sangue pelo corpo

 

  1. Vasos Arteriais

    1. Funcionalidade/Função: Levam o sangue arterial, rico em O2 para todo o corpo. São como, em uma cidade, encanamentos por onde passa a água pura que será distribuída em todas as casas. Sua função determina sua composição morfológica. Algo a ser citado é que apenas uma artéria transmite sangue venoso, a artéria pulmonar. Devido a este ultimo fator é melhor e mais correto caracterizar vaso arterial como ‘aquele proveniente do coração’.

    2. Morfologia: As características dos vasos arteriais que mais se destacam são grossa musculatura e elasticidade que têm. Ambas características tem por motivo o bombeamento de sangue do coração, a musculatura permite resistir á força do fluxo e a elasticidade permite contrair e relaxar durante os batimentos.

 

  1. Vasos Venosos

    1. Funcionalidade/Função: Levam o sangue venoso, rico em gás carbônico, de todas as partes do corpo ao coração, ou seja, realizam um caminho inverso das artérias. Há, porém, veias que transmitem sangue arterial, estas são as veias pulmonares. Para uma correta concepção o vaso venoso é ‘aquele que vai ao coração’.

    2. Morfologia: Constituição semelhante a dos vasos arteriais, nenhuma fonte indicou questões peculiares sobre esses vasos.

 

  1. Capilares

    1. Funcionalidade/Função: São eles que têm contato direto com as células, levando, então, a elas apenas o sangue necessário.

    2. Morfologia: Ramificação tanto das veias quanto das artérias. São bem finos, permitindo assim que o sangue saía facilmente dele, e ainda assim em pouca quantidade.

 

  1. Pequena Circulação

    1. Funcionalidade/Função: Realizar a troca de gases. É esta circulação que transformará o sangue venoso em sangue arterial, para tal sua principal localidade é o pulmão, onde os capilares da artéria pulmonar são ‘oxigenados’, em suma, ocorre a troca de gases. Logo após à troca de gases o ‘novo sangue’ é capitado pelos capilares da veia pulmonar e então segue seu caminho ao coração.

    2. Morfologia: Suas principais estruturas são as artérias e veias pulmonares, o pulmão e por fim o átrio esquerdo e ventrículo direito. São estas as principais estruturas, pois exatamente por elas passa todo o fluxo de sangue. Inicia-se no ventrículo direito, de onde sai o sangue venoso para a artéria pulmonar, esta segue ao pulmão e realiza a troca de gases, o sangue, agora arterial, segue pela veia pulmonar e desemboca no átrio esquerdo. É o fim da pequena circulação.

 

  1. Grande Circulação

    1. Funcionalidade/Função: Levar sangue a todo o organismo. Chamada grande circulação exatamente devido a sua funcionalidade de passar por todos os cantos do corpo. Através dessa circulação que os alimentos são distribuídos, os ‘defensores’ – glóbulos brancos provenientes do sistema linfático – circulam pelo corpo, os nutrientes digeridos no sistema digestivo chegam ao sangue, o que não é utilizado pelas células é levado. É talvez um dos principais canais do corpo, atrás apenas do sistema nervoso. Novamente os capilares serão necessário, afinal, eles que realmente permitem que as células captem os nutrientes, tentar captar sangue quando esta dentro de uma grande artéria seria difícil devido a sua formação.

    2. Morfologia: Podem ser consideradas as principais estruturas da grande circulação as veias e artérias espalhadas pelo corpo, o átrio direito e ventrículo esquerdo e por fim os órgãos os quais captam nutrientes, nos quais se capta nutrientes e nos quais é complementado com ‘inutilidades’ o sangue venoso. Alguns órgãos devem ser citados como colaboradores, estes são os rins, fígado e intestino. Nos rins capta-se a ultima porção de nutrientes, evitando que se perca ‘uma gota sequer’. No fígado certos hormônios serão gerados para serem distribuídos pelo sangue. No intestino será captada grande porção de tudo aquilo que foi digerido e transformado em real nutriente ao corpo. Seguindo uma seqüência morfologia de como ocorre a circulação, temos: ventrículo esquerdo envia sangue arterial a artéria aorta e é distribuído para todos os cantos, após ter contato com as células do corpo o que resta é captado pelas veias e volta para o coração, agora no átrio direto, esta é a grande circulação.

 

Conclusão

O sistema cardiovascular é, realmente, imensamente abrangente, mostrando ser um dos mais importantes de todo o nosso organismo. Sua rede de canais mostra ao ser humano que algo que há dentro dele tem tecnologia muito superior do que qualquer coisa que ele venha a construir, afinal, como poderíamos montar tal rede de canais? Onde os vasos são firmes e flexíveis, onde o bombeamento é utópico e onde não parecem existir possíveis falhas. Afinal, apesar de neste trabalho isto não ter sido descrito, os vasos se regeneram, caso aja um ferimento no próprio sangue existem plaquetas que o coagularão e darão fim ao ferimento.

Observe esse sistema perfeito e renovável, quem sabe um dia consigamos reproduzi-lo com nossa tecnologia.

 

Referências Bibliográficas & Eletrônicas

http://www.afh.bio.br/cardio/Cardio1.asp

http://www.afh.bio.br/cardio/Cardio2.asp

Artigo: “Sistema Cardiovascular” pelo Prof. Dr. Luiz Fernando Junqueria Jr. (BSc, MSc, MD, PhD)

Revista Coração Científico / Vários Colaboradores. – Salvador : IUPE, 2004 (trabalho de ciências)

Procurar no site

© 2008 Todos os direitos reservados.